Marque já a sua próxima viagem através do Booking.

Com certeza você já deve ter ouvido falar de Anne Frank, existe o livro e o filme inspirados no ‘Diário de Anne Frank’ que conta a história de uma garotinha de 13 anos em plena 2ª Guerra Mundial. Anne Frank e sua familia judia, viviam numa casa a beira de um canal em Amsterdã.

Em julho de 1942 quando os alemães começaram a deportar os judeus de Amsterdã para os campos de concentração, o pai de Anne, Sr. Otto Frank a esposa, os filhos e alguns amigos esconderam-se atras desta casa onde havia uma espécie de porão ou cave. Anne que era uma menina de somente 13 anos,passou a registrar em um diário a sua vida desde que a familia decidiu permanecer escondida.

Durante 25 meses em pleno Holocausto todos conseguiram manter-se escondidos, até que em Agosto de 1944 alguém os traiu e os denunciou. Anne e a irmã Margot Frank, foram enviadas à Bergen-Belsen, um campo de concentração alemão da época de Adolf Hitler, onde morreram de febre tifoide em 1945.

O local onde a família de Anne Frank e outras quatro pessoas viveram para se esconder dos nazistas ficou conhecido como Anexo Secreto e tornou-se um famoso museu após a publicação do diário. Nesse há uma reprodução das condições em que os moradores do Anexo Secreto viviam e é apresentada a história de seus oito habitantes e das pessoas que os ajudaram a se esconder durante a guerra.

Um dos itens apresentados ao público é o diário escrito por Anne, que viria a se tornar mundialmente famoso após sua morte, devido a iniciativa de seu pai, Otto, de publicá-lo. Hoje, é um dos mais famosos símbolos do Holocausto. Dos oito habitantes do Anexo, o único sobrevivente após a guerra foi Otto, pai de Anne.

o-diario-anne-frank

Mais de 500 mil pessoas por ano visitam o local que se tornou um ponto turístico obrigatório em Amsterdã. O Museu Anne Frank é pleno em história e marcas dos anos que a familia lá viveu, há desde imagens de revistas coladas na parede das atrizes preferidas de Anne Frank, bem como ‘marcas’ na parede para registrar o crescimento de Anne e seus irmãos.

Um museu em memória de alguém que sonhou em voltar um dia a ser livre, e que esperemos sirva a humanidade como exemplo de um sofrimento a nunca mais ser vivido!

1 COMENTÁRIO

  1. Bem, gostei muito do assunto como foi abordado como foi falado, bem claramente ajudou numa tarefa de casa que tinha que fazer.
    foi bem explicativo obrigado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here